R.Marília, 242 - Jardim dos Estados, Poços de Caldas - MG, 37701-079
  • (35) 3721-6207

Cheque especial: Entenda a nova tarifa cobrada pelos bancos

DATA: 10/06/2020

A partir deste mês de junho, os bancos já podem passar a cobrar dos clientes antigos a nova tarifa para quem tem o limite do cheque especial maior do que R$ 500.

A taxa pode ser de até 0,25% sobre o que passar desse valor. A medida foi anunciada pelo Banco Central no final do ano passado.

Juros cheque especial

Contudo, o governo decidiu criar um limite de 8% ao mês nas taxas de juros cobradas pelos bancos caso o cliente precise usar o cheque especial, que é o crédito liberado pelo banco quando o cliente não tem saldo suficiente na sua conta e precise do dinheiro.

Segundo técnicos do Banco Central, hoje os juros médios do cheque especial são de 306% ao ano. Ao mês, esse percentual fica por volta de 12%.

“Optamos por [estabelecer] um limite de 8% ao mês, o que significa uma taxa atualizada de 150%”, disse João Manoel Pinho de Mello, diretor de Organização do Sistema Financeiro e de Resolução do Banco Central.

Tarifa cheque especial

Por outro lado, a resolução libera os bancos a cobrarem uma tarifa de 0,25% sobre o limite total de cheque especial, descontados os juros devidos no mês.

Contudo, quem tem limite de até R$ 500 ficará isento da tarifa. Segundo o BC, 19 milhões de clientes se encaixam nessa isenção, de um total de 80 milhões de usuários de cheque especial.

A isenção de até R$ 500 é estendida a todos os clientes. O cálculo será feito sobre o excedente. Por exemplo, quem tiver um limite de R$ 600 pagará a tarifa sobre os R$ 100 restantes.

De acordo com os técnicos, hoje os principais usuários do cheque especial são os clientes de menor poder aquisitivo e menor educação financeira.

Saiba mais:

Cheque especial: 4 bancos que não vão cobrar tarifa

Compartilhar: